Apostilas | Voltando ao encontro do Pai | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  Voltando ao encontro do Pai

Voltando ao encontro do Pai

Texto: Lucas 15:11-32 

 


Com o pecado de Adão, toda a humanidade também se tornou pecadora e, por causa do pecado, o homem se distanciou de Deus. No entanto, a morte de Jesus na cruz possibilitou ao homem a sua reconciliação com o seu criador. O desejo de Deus é que toda a humanidade se reaproxime d'Ele para viver uma vida abundante. A parábola que lemos nos conta a estória de um jovem que se distanciou de seu pai, mas que se arrependeu do erro e voltou para os seus braços. É essa a atitude que Deus espera de nós. Então, vamos aprender com essa parábola o que precisamos fazer para voltarmos a Deus. 

 

 

1) TEMOS QUE TER CONSCIÊNCIA DE QUE NÃO PODEMOS VIVER LONGE DE DEUS

 

– Aquele jovem “caiu em si”. Estava vivendo na miséria enquanto poderia ter tudo o que precisasse na casa de seu pai. Muitas vezes não percebemos as coisas erradas que estamos fazendo. É necessário deixar “cair a ficha” na nossa vida para enxergarmos a realidade em que estamos vivendo - Jesus está lhe chamando para que você se reconcilie com Ele hoje. Pense na vida que você está levando. É assim mesmo que você quer viver? Você tem consciência de que algo precisa ser mudado em sua vida? O jovem aqui citado, não caiu quando saiu da casa do Pai, e sim quando no seu coração achou que seria mais feliz se saísse da casa de seu Pai para levar a vida conforme o seu coração. A palavra de Deus cita que o nosso coração é enganoso e não devemos jamais confiar nele. (Jeremias 17:9-10)

 

 

2) ESTAR AFASTADO DE DEUS DEVE NOS LEVAR A UM INCONFORMISMO

 

– Aquele jovem passou grandes privações e sérios desconfortos longe de seu pai. No entanto ele não se conformou em continuar vivendo naquela situação e resolveu voltar para casa.

 

Se você tem sentido algum desconforto na sua vida é sinal de que você está precisando da presença de Deus, mesmo que você esteja dentro da igreja, pois a queda não ocorre quando você sai da igreja, mas sim quando, embora dentro da igreja você já não sente mais prazer em ali estar. Jesus quer lhe tirar desse desconforto e lhe proporcionar uma vida de bênção e paz (Rm 12:2).

 

 

3) O ARREPENDIMENTO E UMA FIRME DECISÃO DE MUDANÇA DE VIDA NOS REAPROXIMARÁ DE DEUS

 

– Deus não retém o seu perdão diante de um coração quebrantado e arrependido. Contudo, deve se compreender que arrependimento requer mudança de direção. Precisamos decidir mudar de um caminho de pecado para um caminho que nos levará à presença de Deus - Jesus está lhe propondo um novo e vivo caminho. Ele quer lhe ajudar para que você deixe sua vida de pecados e passe a viver em santidade. 

 

 

4) PRECISAMOS TOMAR A ATITUDE DE IR AO ENCONTRO DE DEUS

 

 

– Deus nos dá liberdade de escolha. Se a nossa escolha for voltar para Deus, precisamos ter a iniciativa de nos achegarmos até Ele. Ele estará sempre pronto e disposto a nos receber com alegria.

 

Por mais atrativo que possa parecer o mundo, ele só nos trará frustração, ilusão e vazio. Quando o filho deixou a casa de seu Pai, a primeira sensação que ele possuiu foi de um bem estar, é como quando mudamos de casa, emprego, escola, etc. Isso sempre dá uma boa sensação, mas com o passar do tempo, veremos a realidade dos nossos atos e a cobrança que esse ato nos trará. Deus não divide sua glória com ninguém e não pode se associar com o erro. Portanto, não será possível viver “um pouco” com Deus e “um pouco” nas obras da carne - Jesus está lhe dizendo hoje: vinde a mim, vinde a mim.... O seu chamado é constante. 

 

 

5) NÃO PODEMOS PROCEDER COMO O IRMÃO DO FILHO PRÓDIGO

 


Já o irmão do filho pródigo embora nunca tivesse saído da casa de seu pai, também já estava com o seu coração longe do Pai. E por que?

 

Ele estava no campo, junto aos servos.

 

Ele se identificava com os servos.

 

Por que ele não estava junto ao seu pai naquele momento?

 

Será que a vontade do pai para ele, era que estivesse no campo junto aos servos? Será que ele se importou em perguntar ao pai qual era a sua vontade; afinal era filho e não servo.

 

Quando o filho mais moço voltou e pediu ao pai que o tratasse como um dos servos, não foi isto que ele fez, e sim, chamou os servos para darem a ele a melhor roupa, colocarem um anel no seu dedo e colocarem sandálias nos seus pés. Ou seja, o pai sabia diferenciar muito bem um filho de um servo.

 

Certamente o outro filho também sabia dessa preferência do seu pai, no entanto ele não se portava como filho, mas como servo. (Gl 4:1-7). Enquanto você não assumir a sua posição de filho, você não verá sua herança. Devemos amar aos escravos, mas um bom filho assume seu posto.

 

 

Conclusão: Deus sempre esperou o momento em que nós nos reaproximaríamos d'Ele. Deus marcou um encontro com você nesta noite. Você não veio aqui por acaso. Ele quer te abraçar e lhe dar uma nova vida, cheia de bênção e alegria.






Voltar