Apostilas | Superando o conflito de gerações | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  Superando o conflito de gerações

Superando o conflito de gerações

Texto: Marcos 3:21 e 31-34

 


Introdução: O lar é o lugar onde se criam doenças psíquicas e psicossomáticas. A família é a primeira rede de apoio que preserva de adoecer em consequência de uma crise. É fato que cada geração tem a sua maneira de agir, sentir, pensar e decidir.  Em uma família, várias gerações estão presentes: avós, pais, filhos, netos, bisnetos. Isso significa a presença de pensamentos variados, conceitos e valores. O que pode produzir competição, conflitos e inveja. É comum os mais velhos dizerem: “Ah! … no meu tempo eu não tinha essas facilidades, essas regalias que os jovens têm agora! ” Ele está confessando um desejo não satisfeito na sua juventude, um privilégio não obtido. Então perguntamos: não são justamente estes: o sentimento e a atitude que as pessoas mais querem esconder das outras? O marido, com uma grave enfermidade, pode ter inveja da esposa porque ela está com saúde, trabalha e tem uma vida normal, enquanto ele fica isolado. Sendo assim, o caminho que escolhemos para o estudo de hoje é duplo: os valores na família e como resolver conflitos entre gerações. No texto bíblico citado podemos enxergar claramente que esse conceito de conflito em relação aos familiares existia na geração de Jesus. Primeiro os parentes acharam um absurdo ele deixar de comer para atender o povo, por fim veio a própria mãe e irmãos para censura-lo.

 

 

I. Como os valores se formam na família e nas gerações

 


Romanos 12:1-2 “...não vos conformeis com este século, mas transformais-vos pela renovação da vossa mente.” Existe um processo sociológico de mudança cultural comum a todas as culturas em todas as gerações. Alguém inventa algo, mostra seus valores e suas vantagens. Normalmente é algo que vem para tomar o lugar de outra coisa. Ex.: máquina de escrever e computador. Após isso vem a aceitação social que acontece quando a sociedade aceita o que foi inventado. É também a assimilação de um comportamento novo. Após isso vem a eliminação seletiva que acontece quando a sociedade vai deixando hábitos antigos para contrair novos; os valores vão caindo em desuso até desaparecer. E o ultimo e definitivo passo, é a integração cultural, quando os novos valores e comportamentos vão se ajustando cada vez mais, até serem parte integral da família ou sociedade.

 

 

Temos que renovar nossa mente, para da melhor forma possível entender a geração de nossos filhos, para que dessa maneira venhamos ganhar toda nossa família para Cristo. Por isso, uma igreja não pode manter as velhas tradições e costumes de nossos avós. Muitos querem os jovens na igreja, mas mantem os costumes das velhas tradições, como por exemplo vestuário.

 

 

II. Resolvendo conflitos entre gerações

 


Mateus 10:34-39 “...pois vim causar divisão entre o pai e sua filha, entre a filha e sua mãe...”
Para a mãe, que foi educada de forma a não poder sair sozinha com o namorado (a irmã ou alguém tinha de ir junto), a não poder beijar em público, fica difícil entender que sua filha possa ir a uma festa e chegar tarde da noite. Um pai que foi educado aprendendo que “lugar de mulher é dentro de casa” também reluta em liberar a filha para trabalhar. Tudo pode se complicar quando o antigo e o novo acabam coexistindo dentro da mesma casa. Os filhos querem viver da forma dominante de sua época e acompanhar os valores atuais; os pais geralmente acabam tentando se modificar para compreender a forma de vida da nova geração, sem abrir mão dos valores que eles trouxeram do lar no qual foram criados. E quando o avô ou avó moram em casa, as diferenças de gerações são ainda mais evidentes.

 

Evidentemente não temos uma “receita” pronta, pois em cada família há um histórico, mas temos princípios bíblicos que devem ser aplicados no convívio em família que superarão às diferenças de gerações. (Efésios 5:22-33 e 6:1-4)

 

 

Declaramos a sua família abençoada!






Voltar