Apostilas | Vivendo a promessa | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  Vivendo a promessa

Vivendo a promessa

Texto base: Genesis 12:1-3

 

 

1- O Chamado que acompanha a promessa - A promessa sempre trará consigo o chamado. Deus nunca nos dará vitória sem que isso não seja para alcançar também a outros. Deus não alimenta egoísmo, mesquinhez ou qualquer sentimento individualista. O chamado traz responsabilidade, traz autoridade, traz o compromisso de representarmos ao Senhor mediante as transformações que são constantes no ambiente da promessa.

 

A promessa faz com que sejamos referenciais ante aos homens da parte de Deus. Uma vez recebendo a promessa somos chamados não apenas para receber a benção, mas para gerar todo um meio abençoado. “Vós sois a luz do mundo” (Mt 5:14)

 

2- A ruptura que exige a promessa - Era condição primeira para se caminhar no meio da promessa, a ruptura com a casa e a parentela. Abraão foi direcionado por Deus a deixar o seu lugar e seguir a dia após dia a direção do Senhor para a terra que Ele mesmo lhe mostraria. Muitos querem as promessas, mas não querem romper com os laços que os prendem. Tradições familiares, amigos que outrora viviam no mesmo ambiente de pecado e ruína, etc. Se nós queremos a promessa devemos estar dispostos a andar por ela, e nos desembaraçarmos de tudo aquilo que pode representar impedimento para que ela venha. “Pois outrora éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz, porque os frutos da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade... (Efésios 5:8-21)

 

3- A renúncia que nos prova dentro da promessa - Para ter estabilidade dentro do ambiente da promessa os tratamentos de Deus são necessários. Exige-se daquele que recebe a promessa o devido caráter, a disposição interna ajustada, a alma alinhada ao coração do Pai. Abraão foi provado, tendo que despedir a Ló, se dispondo a sacrificar Isaque para que dessa maneira o Senhor tivesse comprovada a fidelidade do seu coração não apenas a promessa, mas a Deus que fez a promessa.

 

4- A abrangência da promessa. Aquele que recebe promessas de Deus deve compreender que agora sobre ele incidem implicações e responsabilidades muito grandes. Grande é o privilégio, mas na mesma proporção as responsabilidades.

 

O Senhor disse a Abraão: “De ti farei uma grande nação, te abençoarei , e te engrandecerei o nome. Sê tu uma benção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gn 12: 1-3).

 

Quando Deus envia a promessa, Ele segue um princípio que se revela no chamado de Abraão:

 

 

1º) A promessa quebra o jugo de esterilidade para levantar debaixo dela um povo, uma nova geração.

 

2º) A promessa não se manifesta de fora para dentro, mas se manifestará de dentro para fora. A palavra sempre será direcionada ao interior do homem, fazendo com que, ele primeiro seja uma benção e não que apenas áreas de sua vida sejam abençoadas.

 


3º) A promessa traz cobertura espiritual. Todos aqueles que uma vez são alcançados pela promessa, tem sobre si cobertura.

 


4º) A promessa estará sempre vinculada à estrutura que Deus mesmo criou, ou seja, a família, para que a abrangência da promessa e da benção que ela carrega alcance outras famílias. Somente alcançando famílias, restaurando-as, curando-as pelo poder que está investido nas promessas de Deus, veremos igrejas, cidades e nações transformadas.

 

 

Conclusão: Deus tem promessas pra você, disponha-te hoje com inteligência e discernimento para que você não apenas as receba na fé, mas que elas encontrem em sua vida o terreno fértil e se cumpram e se multipliquem em outras famílias.






Voltar