Apostilas | Os perdidos dentro da igreja | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  Os perdidos dentro da igreja

Os perdidos dentro da igreja

Texto: Lucas 15:25-32

 

 

Introdução: Muitas vezes lemos o teto da parábola do filho pródigo e apenas nos atentamos para o que o filho pródigo fez, porém não percebemos que também o seu irmão não soube valorizar a posição de filho e por isso também sofreu. Hoje vamos falar sobre o irmão do filho pródigo. Com este exemplo verificamos o terrível perigo de estar na casa do Pai, dentro da igreja, obedecendo regras, cumprindo deveres, sem estar andando nas obras da carne, e ainda assim, estar perdido. Podemos chegar a essa conclusão pelas seguintes razões: 

 


  
1. Vive dentro da igreja, mas não é livre – “Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos” (verso 29) - Ele não vive como filho, mas como escravo. Faz as coisas certas com a motivação errada. Sua obediência não provém do coração, mas da obrigação. Ele nunca entendeu o que é ser filho. Nunca conheceu o amor do Pai. Muitos, também, estão na igreja por uma mera obrigação. Obedecem, mas não com alegria. Estão na casa do Pai, mas vivem como escravos. (Gl 4:1-7)
  

 


2. Vive dentro da igreja, mas está com o coração cheio de amargura –“vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado” (verso 30) - O filho mais velho irrita-se com a misericórdia do Pai. Ele não se alegra com a restauração do seu irmão caído. Para ele quem erra não tem chance de restauração nem deve ser objeto de perdão. Na religião dele não havia agenda para o amor. Mas a Palavra de Deus diz que quem não ama a seu irmão ainda permanece nas trevas. O ódio que ele sentia pelo irmão não era menos grave que o pecado de dissolução que outro cometera fora da casa do pai. O filho pródigo havia de fato se arrependido por ter achado que poderia ser feliz no caminho que ele havia traçado para si, o qual era longe do Pai; e quando, então, volta à sensatez o Pai o perdoa e o recebe de braços abertos. Porém, seu irmão não compreende a misericórdia do pai e se revolta contra o ele.

 


  
3. Vive dentro da igreja, na presença do Pai, mas anda como solitário – “Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu” (verso 31) - Ele anda sem alegria.

 

Está na casa do Pai, mas não tem comunhão com Ele. Muitos também estão na igreja, mas não têm intimidade com Deus, não desfrutam da alegria da salvação, não experimentam as doces consolações do Espírito, vivem como órfãos, sozinhos, curtindo uma solidão dolorosa. O que faz você viver uma solidão dolorosa ao invés de ter comunhão com Deus? No caso do filho pródigo talvez fosse o constante trabalho que ele prestava no campo. E no seu caso, o que é que te afasta de Deus?

 


  
4. Vive dentro da igreja, mas não se sente herdeiro do Pai – “Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu” (verso 31). Ele era rico, mas estava vivendo na miséria. Tinha toda a riqueza do Pai à sua disposição, mas vivia como escravo. Era filho, mas não banqueteava com os seus amigos. Assim, também, muitos vivem na igreja sem experimentar os banquetes do céu, servindo a Deus por obrigação, sem alegria no coração. O jovem rico também vivia da mesma forma que o irmão do filho pródigo, pois embora praticasse todos os mandamentos, não tinha comunhão com Deus. Praticar os mandamentos por medo ou obrigação não agrada a Deus; temos que praticar com amor, como está escrito: “Deus ama quem dá com alegria” (II Co 9:7)

 


  
Conclusão: O mesmo Pai que saiu para abraçar o filho pródigo arrependido saiu para conciliar este filho revoltado. O arrependido, com o coração quebrantado, festejou a sua restauração; o outro ficou do lado de fora, perdido, com o coração endurecido. Como será que está você hoje? Com o coração quebrantado, sabedor que precisa ter mais comunhão com Deus e tratá-lo com mais amor ou com o coração revoltado, amargurado ou contrariado?

 

Esperamos que não esteja perdido dentro da casa do Pai.






Voltar