Apostilas | O poder da oração II | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  O poder da oração II

O poder da oração II

Introdução: Sabemos como filhos de Deus, que nossas orações são ouvidas pelo Pai, e que o Espírito Santo também intercede por nós com gemidos inexprimíveis. Por que então acontecem impedimentos às nossas orações? Vejamos:

 

 

A angústia de Ana (I Samuel 1:6-18)

 


1)  Vers. 10 "Orou ao Senhor... Com amargura de alma... chorou abundantemente". Enquanto Ana estava amargurada e entregue ao problema, a ponto de nem mais comer, a sua oração não era atendida, pois nessa atitude demonstrava além da ansiedade, uma preocupação extrema por causa de seus problemas. Não havia uma entrega total do problema a Deus. 

 


2) Vers. 6 “a sua rival a provocava...” Talvez essa tenha sido a maior dificuldade de Ana, pois ela se deixou levar pelas palavras de sua rival que contaminou seu coração. 

 


 3) Vers. 17-18 Sua oração foi definida e clara. Não perdeu tempo com pedidos confusos. Simplesmente recebeu a palavra do homem de Deus e mudou seu semblante.

 

 

Raiz de Amargura: Hb 12: 14-15 – A amargura vem quando alguém nos decepciona ou não corresponde aos nossos desejos. A pessoa amarga não perdoa, nada está bem para ela, é murmuradora. Tem sentimento de vingança em algumas situações. Ela não tem frutos. A amargura rouba o que Deus tem para nós. A amargura contamina outras pessoas.

 


Remédio – o perdão – Pv 28.13

 

 

Soberba: 1 Pe 5.5-9 - "... porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes." O soberbo é perfeccionista. Timidez também é soberba (medo de errar, quer ser o melhor)

 


Remédio – espírito quebrantado – Sl 51.17

 

 

Fé vacilante: Aquele que duvida não recebe nada da parte de Deus. "São bem aventurados aqueles que não viram e creram" - Jo 20:29

 


Hb 11:6 - “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam”.

 


Remédio – a Palavra – Rm 10.17

 

 

Conclusão: “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” (Is 59:2) Percebemos que a causa principal de não sermos atendidos em nossas orações, são as obras da carne em suas diversas manifestações, conforme vimos acima.






Voltar