Apostilas | O discípulo e a imaturidade | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  O discípulo e a imaturidade

O discípulo e a imaturidade

A imaturidade com certeza é a maior pedra de tropeço para o crescimento do discípulo. Alguns que já deveriam ser mestres devido ao tempo decorrido ainda tem necessidade constante dos primeiros ensinamentos, que alguém o conduza em todas as coisas conforme cita o apóstolo Paulo em (Hb 5:11-14).

 

 

Todas as pessoas que constantemente estão sendo corrigidas pelo seu líder, são crianças na fé, e sendo assim não estão preparadas para serem discípulos e muito menos para produzirem frutos.

 

 

Quando falamos de imaturidade não nos referimos aos anos de vida, pois pessoas com sessenta anos ou mais podem ser imaturas comportando-se como crianças quando não conseguem o que querem, ou quando são obrigados a enfrentarem as realidades desta vida.

 

 

No entanto, um jovem sem muita experiência de vida, pode ter uma maturidade espiritual quando este tem absorvido o alimento sólido.

 

 

Conduta irresponsável, a falta de visão, atitudes precipitadas, egoísta e teimosia muitas vezes são prova de imaturidade.

 

 

Maturidade para lidar com pessoas vem apenas depois de reconhecermos que a Graça de Deus é quem nos sustenta e que necessitamos da sabedoria de Deus para ensinar as pessoas. Muito se tornam imaturos porque não querem ou acham que não precisam aprender, os anos de vida já lhe ensinaram tudo, no entanto é necessário aprendermos a cada dia o que Deus nos ensina, como cita Paulo em (II Co 3:4-6). A "criança" procura um "problema" para poder fazer um escândalo e talvez conseguir um nome para si. Mas a maturidade procura pessoas, esperando para dar-lhes o céu. A "criança" se vê como um general no exército do Senhor; já o maduro é um servo pronto para fazer a vontade do Senhor.

 

 

Quando existe maturidade na vida de uma pessoa na Graça de Deus os grilhões da escravidão e da enganação são quebrados. Quantas pessoas balançam na fé quando certas coisas acontecem inevitavelmente por serem bíblicas. Por exemplo, Jesus nos alertou que é impossível evitar os escândalos e ainda assim, quando estes chegam na igreja observamos que muitos ficam a questionar do porque e alguns chegam a abandonar a fé, por conta destas coisas desagradáveis, porém como Jesus disse: São inevitáveis (Lc 17:1). Neste momento podemos observar quem é maduro e quem é imaturo. O interessante é que aquele que promove o escândalo sabe quem é maduro e quem é imaturo, pois sempre atacamos imaturos.

 

 

A maturidade na doutrina não negocia com o erro. Simplesmente é sábio o suficiente para saber que não sabemos tudo. A criança passeia alegremente pela superfície da água, proclamando altamente seu domínio dos mares; mas a maturidade está ciente das profundezas não exploradas abaixo. O tolo tem uma resposta; o sábio, um motivo.

 

 

Paulo disse a Timóteo para fugir "das paixões da mocidade" e repelir "as questões insensatas e absurdas" (2 Timóteo 2:22-23). Não há "maturidade instantânea" para nenhum de nós. Devemos começar aprendendo comas instruções e "pela prática" podemos crescer em Cristo.

 

 

O apóstolo Paulo nos ensinou um excelente caminho para crescimento espiritual:

 

 (I Co 4:14-16)”...Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores."

 

 

Conclusão: Chega um momento na vida de todo ser humano que é necessário atitudes maduras para que as coisas caminhem e gerem frutos. Assim também na vida espiritual é necessário a maturidade para ser um verdadeiro discípulo e gerar crescimento naquilo que se faz. Será que você possui atitudes maduras? Será que você tem sido constantemente repreendido pelo seu líder espiritual? Seu comportamento tem trazido bons frutos ao ministério? Declaramos você buscando esta maturidade para que haja crescimento em sua vida! 






Voltar