Apostilas | È possível não ter angústia? | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  È possível não ter angústia?

È possível não ter angústia?

"E levando consigo a João, Pedro e Tiago começou a sentir-se tomado de pavor e de angustia dizendo: Minha alma está profundamente triste até a morte." (Marcos 14:32-42)

 


O que é angústia? Muitos poderiam dar uma resposta bem pessoal e subjetiva a essa pergunta.

 

Falando de modo geral, angústia é um sentimento que acompanha o ser humano desde seu nascimento até a morte em várias situações da vida. A angústia é uma das mais fortes opressoras da humanidade, é um sentimento da alma que pode atacar na mesma medida tanto o rei como o mendigo.

 

Angústia é uma emoção que pode ser abafada, mas não desligada. O homem natural não pode se desviar nem escapar dela. Na verdade, existiram e existem pessoas de personalidade forte que, com sua determinação, se posicionam obstinadamente diante da angústia, mas elas também não conseguem vencê-la totalmente. Podemos tentar ignorar a angústia, mas não escaparemos de situações dolorosas. Precisamos de Deus nos fortalecer nesta hora. Olhe o exemplo de Jesus que continuamente se entregava totalmente à vontade de Seu Pai, mas isso não o livrou de passar pelo dia mal:

 

"E, adiantando-se um pouco, prostrou-se em terra; e orava para que, se possível, lhe fosse poupada àquela hora. E dizia: Pai, tudo te é possível; passa de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, e, sim, o que tu queres" (Marcos 14:35-36).

 

Mas mesmo possuindo como todo ser humano em carne a angústia da alma; Jesus luta contra aquele momento difícil. Não fazemos ideia de como isso é importante. Não apenas orando três vezes as mesmas palavras, mas, com isso, sempre se submetendo à vontade de seu Pai, Jesus demonstrou uma confiança tão grande que jamais haverá confiança maior. Foi algo grandioso, em Sua angústia, Ele ter se apresentado três vezes a fim de orar as mesmas palavras. Mas por Ele – por assim dizer no tom fundamental da sua oração – sempre voltar a Se submeter a Deus foi uma prova bem especial de Sua confiança no Pai celestial.

 

Ele sabia: Eu posso orar que este cálice passe de mim, mas se meu Pai celestial o quer de outra maneira, então eu aceito e me coloco totalmente em Suas mãos. Isso é confiança total no Deus Todo-Poderoso! Devemos ter isso em mente, pois apesar de irmos a Deus em oração, clamando e levando a Ele a nossa angústia, devemos acima de tudo pedir que Deus faça a sua vontade. Reflitamos no que estava em jogo ali no Getsêmani: ou Ele morria ali mesmo, deixando de salvar a humanidade, ou Ele morria na cruz, como estava previsto, salvando a humanidade por tomar sobre Si a maldição da lei. E embora a sua obra redentora estivesse em jogo, Ele não fez a sua própria vontade, mas se submeteu totalmente à vontade de Seu Pai.

 


O que jamais devemos permitir que a angústia faça conosco:

 


1. Nos separe do amor de Cristo - (Rm 8.35-38-39). “Quem nos separará do amor de Cristo?” Será que um momento de angústia devido a um problema momentâneo vai ser motivo para você se separar do amor de Cristo? Para o grande profeta Elias isso foi motivo! E para você, será?

 


2. Deixar de orar a Deus na hora da angústia - Jesus buscou a Deus na hora da angústia.  Hebreus 5.7 -“Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte, e tendo sido ouvido por causa da sua piedade..."

 


Conclusão: Como podemos vencer nossas angústias? Depositando nossa confiança no Deus Todo-Poderoso. Como podemos fazer isso? Jesus já fez isso antes de nós e nos serve de exemplo. Aqui se trata do momento no Getsêmani, quando Jesus, em Sua ilimitada angústia, confiou no Deus Todo-Poderoso e O invocou em oração. Isto não é novidade para nós. Mas talvez precisamos aprender de maneira totalmente nova a aplicar isto também em nossas vidas. 

 






Voltar