Apostilas | Curso Graça: A lei e a graça | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  Curso Graça: A lei e a graça

Curso Graça: A lei e a graça

A LEI E A GRAÇA

 

 

É muito importante separarmos os pactos, e também sabermos para que tipo de povo cada pacto foi criado. Ignorar que a Lei foi para os judeus e que a Graça é para os estrangeiros é o mesmo que desconhecer toda a Bíblia.

 


O judeu por ter rejeitado o Messias, será julgado pelas práticas da lei de Moisés até os dias atuais.

 

Romanos 2:13-25 “Pois não são justos diante de Deus os que só ouvem a lei; mas serão justificados os que praticam a lei (porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem por natureza as coisas da lei, eles, embora não tendo lei, para si mesmos são lei, pois mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os), no dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Cristo Jesus, segundo o meu evangelho. Mas se tu és chamado judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus; e conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído na lei; e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas,  instrutor dos néscios, mestre de crianças, que tens na lei a forma da ciência e da verdade; tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Tu, que dizes que não se deve cometer adultério, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, roubas os templos? Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?

 


Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios, como está escrito. Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se guardares a lei; mas se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão tem-se tornado em incircuncisão.”

 


Observe que o apóstolo Paulo mostra que até os dias de hoje, a prática da Lei pelo judeu está correta. Não somos contra as obras da Lei, como alguns afirmam, somos contra a prática da lei por aqueles que não são judeus, pois a lei não foi dada aos gentios.

 


Os gentios (estrangeiros), devem viver a fé no Messias (Jesus Cristo) para que vivam a Graça de Deus.

 


O que é viver na Graça?

 


a) Não praticar nenhuma obra da Lei.

 


Gálatas 3:9-14 “Os da fé são abençoados com o crente Abraão, mas todos quanto são das obras da lei estão debaixo de maldição...”

 


b) Receber o sacrifício de Jesus e não imitá-lo.

 


II Coríntios 5:16-17 “Assim que, nós daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não conhecemos deste modo. E, assim, se alguém está em Cristo, é uma nova criatura; as cousas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”

 


c) Abandonar as obras que negam a Cristo.

 


Tito 1:10-16 “...No tocante a Deus dizem conhecê-lo; entretanto o negam por suas obras...”

 

 

A graça no principio era vista como sinônimo de: benevolência, misericórdia, compaixão, clemência; assim, entenderemos o Salmo 90:17 onde se lê: “E seja sobre nós a graça do Senhor nosso Deus: e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim confirma a obra das nossas mãos.”Aqui o salmista clama a misericórdia do Senhor, confiante em que Ele confirmará, ou seja, julgará com clemência todo o seu proceder.Assim vemos a graça de Deus, no Velho Testamento, que ainda não significava a graça salvadora que viria com Jesus, sem a qual nenhum de nós seríamos salvos (Ef 2:8).

 


A característica principal do Evangelho e que demarca muito bem o período neotestamentário é a graça; conforme a entendemos em Lucas 2:40: “E o menino crescia, e se fortalecia no espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele.” Crescer, fortalecer-se no espírito, cheio de sabedoria assim aconteceu com profetas (Samuel, Elias, Eliseu...) e com Salomão em sabedoria, mas em Graça só mesmo Jesus.

 


Qual era a graça que estava com Jesus?

 


É o perdão que é a expressão maior do amor de Deus. 

 


 “E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça SOBRE graça.”(João 1:16)

 


Isto é a Graça (favor imerecido): a total remissão dos pecados, obtida por Jesus Cristo, na cruz do Calvário. (Nota: A Graça veio sobrepor a graça antiga)

 


O cristão deve viver debaixo da Graça e não se envolver com “outros evangelhos”: “Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo...” (Gálatas 1:6-8)

 


O que a Graça não é?

 


Não é cura, não é libertação de demônios, não é prosperidade material, não é satisfação afetiva e nem mesmo ressurreição de mortos.Jesus fez todas estas cousas e outras tantas mais; mas, não houvesse Ele nos tirado do vale da sombra da morte (do jugo da servidão da lei), morrendo na cruz, não teríamos a Graça. Graça não são bençãos; Graça é um pacto, é a nova aliança.

 


“E quando vós estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos;tendo cancelado o escrito de dívida (a Lei) que era contra nós e que constava de ordenanças, a qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-a na cruz. E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.” (Colossenses 2:13-15)

 


Note-se bem: Jesus cancelou o escrito de dívida, ou seja, a Lei; tirando-a do meio de nós, encravou-a na cruz. Logo, tudo que se fizer em nome de Jesus tem que se fazer em função do amor e motivado pelo amor, e não se submeter às ordenanças da Lei. O apóstolo foi muito claro ao dizer: “Todos quanto, pois são das obras da lei estão debaixo de maldição...”

 


Mas a Graça só é completa quando é adicionado o amor. Pois em Cristo, nem circuncisão nem incircuncisão tem valor, mas a fé que atua pelo amor. (Gálatas 5:6)

 


E ainda, indo mais além, ousaríamos dizer: Ainda que eu nunca pecasse e cumprisse todas as injunções da lei, sem amor e sem amar, de nada isto tudo me valeria. 

 


Se aquilo que faço, e tudo o que vier a fazer, se o faço ou fizer porque a lei manda, invalido o sacrifício de Jesus, estou fora da Graça; logo, caí da graça. (Hb 6:4-8)

 


A Lei tinha como pressuposto agradar a Deus por meio de holocaustos, sacrifícios, votos, guardar dias, meses, luas, festas e tantas outras ordenanças. 

 


Na lei, era cobrado estas cousas, já na graça nos é cobrado unicamente o amar e perdoar, pois Jesus no resgatou da maldição da lei. 






Voltar