Apostilas | A visão de Jesus | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  A visão de Jesus

A visão de Jesus

Texto: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E, vendo a multidão, teve grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara” (Mateus 9:35-38)

 

 

Introdução: Há visões de beleza sem par, como o pôr-do-sol, aves, rios ou montanhas, que inspiram os pintores a pintar belos quadros. Porém, a visão que comovia Jesus era a das multidões que o seguiam. Vejamos a ótica do Mestre:

 

 

1 – A visão de Cristo vendo as multidões

 


Quem era a multidão que seguia a Jesus? E nos dias atuais?

 


- Para os imperadores de Roma, apenas contribuintes do tesouro. Hoje para os pastores da lei, são apenas pessoas que irão enriquecê-los. - Para os oficiais romanos, escravos para trabalhar a terra.

 

Hoje para os pastores da lei, escravos para trabalharem nos templos - Para os sacerdotes, escribas e fariseus, um bando de fanáticos. Para os pastores da lei, apenas povo. - Para Jesus, ovelhas desgarradas do aprisco, exaustas e sem pastor. Para nós, pastores da Graça de Deus continua essa mesma visão.

 

– “E, vendo a multidão, teve grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor”.

 

 

2 – Os sentimentos de Cristo pelas multidões

 


- Amor inefável – Foi a base do seu ministério, sua vida e sua morte – “Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse” (Jo 17:12)

 

- Compaixão – É sentir a dor e o sofrimento do necessitado. (Mateus 9:35-36)

 

– Cristo compadeceu-se das multidões pobres, famintas, enfermas e oprimidas.

 

- Cristo conhece o sofrimento do homem. Todo coração conhece sua própria tristeza, mas o coração de Cristo conhece a de todos.

 

 

3 – A preocupação de Cristo com a seara

 


“Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros”.

 


- Cristo preocupava-se com a seara do Pai. Não podemos deixar este sentimento esfriar. Missão deve ser a nossa visão constante! Os ceifeiros são poucos e a seara é grande.

 


O que fazer? Orar e pedir ceifeiros ao dono da seara. Veja, é importante orar e pedir servos ao Senhor!

 

O dinheiro é importante, mas não vocaciona servos para seara, muito menos a influência política de algum líder. É o Senhor da seara quem chama e envia os ceifeiros.

 


- Jesus mesmo orou ao Pai para escolher os doze apóstolos“E aconteceu que, naqueles dias, subiu ao monte a orar e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos” (Lc 6:12,13). Estes seriam os ceifeiros que colheriam os frutos semeados por Ele no seu ministério terreno.

 

 

Conclusão: A visão de Cristo, hoje, continua a de multidões que perecem sem salvação, porque faltam ceifeiros dispostos a trabalhar na seara do Pai. Ouve agora o apelo divino: “Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim” (Isaias 6:8)
Hoje o Senhor continua perguntando: “A quem enviarei?” Você pode responder: “Eis me aqui, envia-me a mim!”  






Voltar