Apostilas | A santificação | Comunidade Cristã Amor e Graça

 
 
  A santificação

A santificação

Texto:  “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5.23).

 

 

Introdução: Tentar vencer as obras da carne, ou seja se santificar pelo esforço próprio é uma tendência humana antiga, daí o surgimento de várias religiões cada qual com suas doutrinas para a santificação. Contudo a bíblia cita que isto é impossível. Não tem como vencer a carne pela carne. O que as pessoas têm tentado?

 

 

1. Erradicação
Sabemos, à luz da Palavra de Deus que o nosso velho homem morreu com Cristo (Rm 6:6-11). Todavia, é necessário entendermos que o pecado nos assedia (Rm 7:15-24). Esta é a luta, o conflito que se trava na vida do cristão: a carne contra o espírito. Veja também 1 Jo 1.8 “Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.” Se a erradicação da natureza pecaminosa se consumasse, não haveria a morte física, pois este é o resultado dessa natureza. Não é nosso propósito polemizar, muito menos incentivar alguém ao pecado e sim entendermos que somente uma vida em Graça nos livra do domínio do pecado.

 

“Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei e sim da graça” (Rm 6:14). Cremos na eficácia da morte de Jesus na cruz para nossa justificação e santificação, o que nos leva a ficarmos com uma vida santa, no entanto, cremos que somos santificados à medida que nos apegamos com mais firmeza a Graça de Deus “Porque com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados” (Hb 10:14).  

 

 

2. Legalismo

 


Consiste na observância de regras e regulamentos. Isto nos lembra os Gálatas, de quem Paulo diz que estavam desligados de Cristo (Gl 5:4) “De Cristo vos desligastes, vós eu procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes”. Paulo os chamou de insensatos (Gl 3:1) “Ó gálatas insensatos! Quem vos fascinou a vós outros, ante cujos olhos foi Jesus Cristo exposto como crucificado?”; ele chegou a afirmar que estavam passando da Graça de Cristo para outro evangelho “Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho...” (Gl 1:6)

 

Assim, também hoje muitos tem tentado se justificar diante de Deus através das obras da lei.

 

 

Em Rm 6:1-14, Paulo esclarece que a lei não santifica. Se o ser humano quiser ser salvo do pecado, terá de ser por um poder à parte de si mesmo ou seja, a Graça. Infelizmente, há muitos que pregam regras humanas, hábitos e costumes como meios para santificação. Assim eram os fariseus nos dias de Jesus; que Deus nos livre desse espírito de religiosidade e legalismo.

 

 

3. Ascetismo

 


É a tentativa de subjugar a carne e alcançar a santificação por meio das privações (ex. jejum) e do duro trato do corpo. Este é o método que seguem alguns católicos, hindus e muitos evangélicos. Este conceito está baseado em impor um tratamento severo ao corpo, a fim de aperfeiçoar-se moral e espiritualmente. Isto é contrario ao ensino das Escrituras, que afirma que o nosso corpo é templo do Espírito Santo o qual não deve ser destruído (I Co 3:16-17). O que deve ser subjugado (dominado) são os impulsos pecaminosos da alma, e não o corpo. Ascetismo é uma tentativa de matar o “eu”, mas o “eu” não pode vencer o “eu”. Essa obra é do Espírito Santo. Há dois termos aqui para serem lembrados: mutilar e mortificar. Não queremos mutilar o corpo, mas mortificá-lo. Nosso corpo pode e deve ser para a glória de Deus. Como conquistar isto? O apóstolo Paulo nos traz a receita em Rm 8:12-14

 

“Assim, pois, irmãos, somos devedores, não à carne como se constrangidos a viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas se pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente vivereis. Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.” 

 

 

Conclusão:

 

A santificação acontece somente quando se tem a Graça de Deus operando eficazmente em nós, pelo poder do Espírito Santo, e por nos colocarmos nas mãos de Cristo a cada dia (I Ts 4:1-8).






Voltar